Mulher é presa ao fingir sintomas de coronavírus para ser atendida com rapidez em unidade de saúde

Suspeita tentava atendimento prioritário e alegou ter visitado Hong Kong

Uma mulher foi presa, na sexta-feira, por fingir estar com sintomas atribuídos ao coronavírus para receber atendimento prioritário na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Copacabana. Segundo informações da 12ª Delegacia de Polícia de Copacabana, a mulher disse que havia acabado de voltar de viagem de Hong Kong, província autônoma da China, e que sentia os sintomas da doença causada pelo vírus.

A UPA acionou o protocolo internacional para tratamento do vírus. A paciente foi isolada e encaminhada a uma série de exames. Durante entrevista, afirmou que viajou como babá de uma família. Ainda de acordo com a delegacia, as Vigilâncias Sanitárias estadual e municipal foram acionadas e chegaram a notificar o caso ao Ministério da Saúde.

Após familiares contradizerem a mulher, informando que ela não possui passaporte e nunca saiu do país, agentes checaram a informação com a Polícia Federal. Com a confirmação, foram à UPA onde realizaram a prisão.

A Polícia Civil diz que a suspeita confessou ter mentido porque queria ter atendimento prioritário. Ela foi autuada em flagrante por Falsidade Ideológica, e no artigo 41 da Lei de Contravenções Penais (provocar alarme, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar ato capaz de produzir pânico e tumulto). com G1


Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*