Bolsonaro anuncia aumento de 12,84% para professores da educação básica

Spread the love

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta 5ª feira (16.jan.2020), em live no Facebook, que haverá aumento de 12,84% para todos os professores da educação básica do país. A medida foi anunciada em conjunto com o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

“Eu sei que ainda é baixo em relação ao que deveria ser, porque são esses professores que são os heróis. Então está saindo de R$ 2.557 para R$ 2.886, que é o salário de referência na maior parte dos Estados e municípios”, disse o ministro.

“Eu não vou parafrasear o ‘9 dedos’, mas nunca na história teve 1 aumento acima da inflação real. Porque no passado tinha inflação. O PT ia levar o Brasil de volta para a inflação”, completou, fazendo uma crítica ao ex-presidente Lula.

O ajuste, acima da inflação de 2019 (4,31%), corresponde às expectativas da CNM (Confederação Nacional de Municípios) que já havia previsto o valor mínimo do magistério passaria de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24. Há expectativa entre gestores municipais que uma nova lei sobre o Fundeb seja criada este ano. A lei atual só estabelece manutenção do fundo até este ano. O Ministério da Educação prepara proposta com novas regras.

Bolsonaro disse que essa é uma resposta aos protestos contra o governo e o Ministério da Educação em 2019.

“Tem muitos estudantes que foram às ruas contra você no ano passado”, disse Bolsonaro, sorrindo, a Weintraub. “Contra o senhor. Eu sou apenas 1 instrumento, presidente”, rebateu o ministro. “Na realidade, o dinheiro não é meu, nem seu, é do povo. Agora nós estamos retomando a quem é de direito”, respondeu o presidente.

Na live, também participaram: o secretário especial de Cultura, Roberto Alvim, e o secretário Nacional da Pesca, Jorge Seif Junior, além de 1 intérprete de libras.

Segundo Bolsonaro, governadores do Nordeste tentaram vetar o reajuste dos salários dos professores.

“Chegou por vias tortuosas a mim, que o pessoal do Nordeste queria que a gente vetasse esse reajuste para sobrar mais dinheiro para eles investirem em outra área”, disse.

Segundo Weintraub, os governadores queriam que não houvesse ligação entre o aumento do salário e o aumento da arrecadação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).

“Porque o reajuste, ele vem, presidente, da melhora que o senhor está proporcionando na economia. Como a economia está melhorando, aumentando a arrecadação, o Fundeb, que é o fundo que a gente manda para Estados e municípios bancarem a educação, ele é fruto dessa melhora geral da economia. E esse dinheiro, que iria pra eles, eu presenciei a pressão para que o senhor vetasse, a ligação entre o aumento do Fundeb para o aumento do salário dos professores. Ia sobrar mais dinheiro na mão dessa turma. E o senhor não cedeu à pressão e falou: ‘Não, a prioridade é o professor, não vou vetar’”, disse o ministro.

Assista à live completa (40min32seg):

CRÍTICA AOS GOVERNOS DE SÃO PAULO E RIO

O presidente e o ministro criticaram a atual situação da educação no Brasil e culparam governos anteriores ao falar sobre o Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes). [O ano de] 2018, foi o fundo do poço, presidente. Tenho certeza que o senhor entregará a educação melhor. No final do seu 1º mandato, a gente vai saber o resultado”, disse, Weintraub.

Ao elogiar o ensino em escolas militares, criticaram o fato de os governos de São Paulo e do Rio de Janeiro, de João Doria (PSDB) e Wilson Witzel (PSC), respectivamente, não terem implementado a escola cívico-militar. “Tem ainda uns governadores do Nordeste, lá, de esquerda, que também não quiseram não“, disse o ministro.

Em outubro do ano passado, o Governo de São Paulo havia deixado de aderir ao programa nacional do MEC para criação de escolas cívico-militares. Dias mais tarde, no entanto, Doria voltou atrás e pediu para que o Estado fosse incluído.

Segundo Weintraub, no Rio de Janeiro, o programa cívico-militar será implantado apenas na capital pois o prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos), quis adotar a ideai.

“É importante que as pessoas escolham seus prefeitos e governadores alinhados com o senhor, porque tem gente que faz birra. Porque que eles não quiseram escola cívico-militar? Porque é 1 modelo que dá tão certo e vai entrar na conta do senhor e eles não vão querer”, disse o ministro.

“Isso é 1 crime que fazem com o futuro de uma geração, deixá-las longe de uma educação de qualidade”, completou Bolsonaro.

ATAQUE A LULA POR APOIO A CHÁVEZ

Na live, Bolsonaro também disse que muitas crianças da Venezuela estão sendo enviadas ao Brasil para não “morrer de fome” no país vizinho. Fez duras críticas aos governos do PT e ao ex-presidente Lula por apoio ao ex-presidente da Venezuela Hugo Chávez –que morreu em 2013, vítima de câncer.

Nessa 5ª, cerca de 30 crianças venezuelanas, que estão em Pacaraima (RR) participaram de solenidade de passagem de comando da operação Acolhida –destinada a receber cidadãos venezuelanos que fogem da crise no país– realizada no Palácio Planalto. Segundo Bolsonaro, elas estão sendo interiorizadas para Estados brasileiros junto com seus pais.

Em seguida, o presidente disse, em recado a quem diz que ele tem que deixar de falar no Lula e no PT, que ambos não podem ser esquecidos para que o Brasil não venha, eventualmente, a ter os mesmos problemas políticos e econômicos que a Venezuela.

“Você que gosta desse tipo de governo, você que é amante do Lula, né. O Lula vivia lá fazendo campanha para o Chávez, fez campanha para o Maduro. Inclusive, certa vez o Lula falou que na Venezuela pode faltar tudo, menos democracia. Alguns falam: ‘Tem que esquecer o Lula’. Pera aí, cara. Você não pode esquecer esse pessoal que arrebentou com o Brasil, porque eles estão vivos aí. Vão disputar eleição em 2022. Quer que esses caras voltem?”, questionou.

Apesar de criticar o apoio de Lula ao governo de Chávez, em 1999, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Bolsonaro fez elogios ao falar do ex-presidente venezuelano. Segundo ele, Chávez, como líder da Revolução Bolivariana, era “uma esperança para a América Latina“.
“Chávez é uma esperança para a América Latina e gostaria muito que essa filosofia chegasse ao Brasil”, disse o então deputado pelo PPB à época. “Acho ele ímpar. Pretendo ir à Venezuela e tentar conhecê-lo.”

EDITAL DE FILMES ALINHADOS À IDEIA DE CONSERVADORISMO

Na live, o secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, afirmou que o governo vai lançar 1 edital para cinema alinhado à “ideia de conservadorismo em arte” no final de fevereiro ou, no máximo, no início de março.

Segundo o secretário, o edital vai abranger as seguintes categorias: curta-metragem, animação; filmes de 1ª direção; de atores iniciantes; entre outros. Além disso, terá uma categoria exclusiva para seleção se filmes sobre a Independência do Brasil e sobre “grandes figuras históricas brasileiras”.

“Estamos tentando aí criar 1 cinema sadio, ligado aos nossos valores, princípios e alinhado com essa ideia de conservadorismo em arte, que, na verdade, é uma arte que dignifique o ser humano, que dignifique a condição humana”, disse Roberto Alvim, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, em live no Facebook.

Segundo Bolsonaro, antes de seu governo, a ideia de fazer cultura no Brasil era voltada para “a minoria”, agora a intenção é fazer uma cultura para “a maioria”.

Roberto Alvim também anunciou que o governo vai lançar o Prêmio Nacional das Artes. Segundo ele, trata-se de 1 edital que vai patrocinar uma série de categorias de arte, entre elas: óperas; peças de teatro; exposições de novos pintores brasileiros; escultura; literatura, com novos escritores; música nas categoria de música popular e erudita; cultura Pop, compreendendo histórias em quadrinhos.

O secretário disse que a verba destinada ao subsídio das produções de arte selecionadas pelo edital será distribuída de forma igualitária pelas 5 regiões do Brasil. Após produzidas, segundo o secretário, as obras serão oferecidas à sociedade “com total acessibilidade”.www.poder360.com.br

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*