Idosa recebe agendamento médico cinco meses após morrer

O tempo de espera por uma consulta no SUS (Sistema Único de Saúde) foi o responsável por uma família do De São Vicente, no litoral de São Paulo, reviver um momento de luto.

Cinco meses após a morte da avó, de 80 anos, a neta foi informada através do Whatsapp de que a consulta com o cardiologista havia sido disponibilizada.

Ozias Carneiro do Espirito Santos sofria com problemas cardiovasculares e recebia atendimento por meio da Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Margarida, em São Vicente.

Em entrevista ao G1, a neta disse que a avó não resistiu enquanto aguardava um retorno ao médico. Dona Ozias morreu no dia 12 de maio e, somente no dia 15 de outubro,  a família recebeu um alerta de que havia um agendamento marcado para que a idosa comparecesse ao cardiologista.

“Fiquei em choque quando vi a mensagem de que haviam marcado esse retorno para ela.

Sempre houve demora para marcar as consultas dela. Ela passou por uma cirurgia de cateterismo, e também teve muita demora, uma espera imensa”, disse a jovem.

Em nota, a Prefeitura de São Vicente disse que a paciente vinha sendo acompanhada pela cardiologista da rede desde outubro do ano passado. Como a região onde a paciente residia era coberta por agentes de saúde, ela recebeu visitas destes profissionais em sua casa, para acompanhamento clínico. catracalivre

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*