“Fiz besteira”, avisa PM, por WhatsApp, após matar a mulher

O soldado da Polícia Militar Edson Melo, 41 anos, acusado de matar a esposa e, em seguida, tirar a própria vida, enviou um áudio para um grupo de policiais militares, em um aplicativo de mensagens, em que dizia: “Fiz besteira”. O texto foi encaminhado logo após ele atirar contra Ana Gabriela Perin Broesler, 26.

As informações foram divulgadas pelo G1. Melo matou a esposa nessa segunda-feira (21/10/2019), dentro do carro da família, depois de ela ter deixado os três filhos do casal na escola, no bairro Jardim dos Prados em Peruíbe, no litoral de São Paulo. A mulher foi baleada na cabeça, no abdômen e na coxa. A vítima morreu no local. Logo depois, o policial militar foi para casa, no Bairro Vila Erminda, e se matou também com um tiro.

A mensagem foi enviada em grupo composto apenas por policiais militares que atuam na 3ª Companhia do 29º BPM/I, onde Melo trabalhava. No áudio, o soldado confessa que havia feito uma “besteira” e avisou que estava deixando a porta da casa aberta para que os colegas pudessem entrar. Além disso, ele pedia ajuda para cuidar dos três filhos.

Quando as equipes da PM chegaram ao imóvel, a porta realmente estava aberta. Melo foi achado morto próximo à cozinha, ao lado da pistola. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o caso foi registrado na Delegacia de Peruíbe como feminicídio e suicídio. A autoridade policial solicitou exames ao Instituto de Criminalística (IC) e Instituto Médico Legal (IML) e investiga os fatos. metropoles

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*