‘Se levar um tiro, morro rindo’, diz Datena sobre ameaças

O nome de José Luiz Datena dispensa apresentações, profissional conceituado e reconhecido, ele está prestes a completar 50 anos de profissão. Paulista da cidade de Ribeirão Preto, ele concedeu entrevista ao colunista Leo Dias, do Uol. Na ocasião, ele falou de temas como mudanças na carreira, vida pessoal e disse não temer ameaças contra sua integridade física.

Famoso por seus bordões e sua larga experiência em programas policiais, Datena confessou que nunca teve aspiração de apresentar atrações do gênero. Segundo ele, a oportunidade surgiu por uma necessidade.

– O meu lance era mesmo seguir na reportagem [esportiva], tanto que eu estava subindo na TV Globo. Só que, de uma hora para a outra, o destino fez com que eu trabalhasse na TV Record. E o falecido [diretor] Eduardo Lafon falou que eu teria que fazer programa de polícia. Eu disse: “Eu não vou fazer programa de polícia. Eu não gosto, eu odeio isso”. Mas, como a opção era ser mandado embora, porque eles iam acabar com a equipe de esportes, topei – confessou.

O apresentador também falou sobre as ameaças que sofre por fazer comentários fortes contra a criminalidade durante o Brasil Urgente. Ele disse, porém, que não fica apreensivo por conta disso.

– Se um cara me der um tiro hoje, eu morro rindo. Se eu morrer mesmo, não to nem aí. Não tenho medo disso, não – disse.

Outro assunto comentado pelo jornalista foram os boatos de que ele tem uma relação ruim com Luiz Bacci, apresentador da Record, algo que foi prontamente negado.

– Não houve nenhum problema. É que ele fazia um programa antes do meu e usava as matérias que eu iria usar. Havia um certo conflito, mas terminou numa boa. Eu gosto muito dele – encerrou. plenonews

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*