Após ser rejeitada por 20 famílias menina com síndrome de down é adotada por homem gay

Luca Trapanese, de 41 anos, é um homem gay solteiro que adotou Alba, após a garotinha ser rejeitada por 20 famílias, incluindo a mãe biológica por ser portadora da síndrome de down. O caso aconteceu na Itália, onde a lei não aceita caso de adoção envolvendo pessoas solteiras.“Desde que eu tinha 14 anos, me ofereci e trabalhei com pessoas com deficiência, então senti que tinha o conhecimento e experiências o suficiente para adota-lá“, disse o Luca à “BBC”.Pela lei da Itália, apenas casais heterossexuais casados com idade entre 18 e 45 anos são autorizados a adotar. “Foi muito difícil porque eu sempre quis ser pai. Me disseram que só me deixariam adotar crianças com algum tipo de doença, deficiências graves ou com problemas comportamentais“, disse ele.Quando Luca ficou sabendo do caso de Alba entrou em contato com o hospital pedindo pela adoção. “Quando eu a segurei em meus braços, fiquei cheio de alegria”, lembra ele. “Eu senti na mesma hora que ela era minha filha e sabia que estava pronto para ser o pai dela“, relembrou.
Hoje a garotinha tem 1 ano e seis meses, e Luca descreve a filha como uma criança determinada e um pouco teimosa. Em entrevista ele disse que a história deles “desconstrói muitos esteriótipos sobre paternidade, religião e família” e espera que influencie outras pessoas de forma positiva. “Vou passar o resto da minha vida com uma garota que eu amo e faremos coisas incríveis juntos“, finaliza Luca.

meia hora

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*