Pais afirmam que filha adotiva fingia ser criança para matá-los

Uma história real, mas que parece ter saído do roteiro de um filme de Hollywood, tem intrigado autoridades dos Estados Unidos: uma mulher acusada de abandonar a filha adotiva de 10 anos e se mudar de país afirma que a garota é, na verdade, uma sociopata de 22 anos que fingia ser criança e queria matar a família adotiva. 

O caso – que se assemelha ao filme de terror “A Órfã”, de 2009 –  envolve os norte-americanos Kristine Barnett, de 45 anos, e Michael Barnett, de 43 anos: eles são acusados de abandonar a filha Natalia Grace, que tem nanismo, no apartamento em que eles moravam, nos Estados Unidos, e se mudar para o Canadá. 

Segundo a reportagem do jornal The Sun, a história ocorreu em 2013, mas só agora veio à tona. O casal teria mudado legalmente a idade da menina, de 10 anos para 22 anos, antes de ir embora dos Estados. 

Uma médica que examinou Natalia, em 2010, ano em que a garota ucraniana foi adotada, afirmou que ela tinha oito anos. Os Barnetts, agora divorciados, mudaram legalmente a idade da filha para 22 anos, em 2012, pouco antes de mudarem de país.

FILME DE TERROR

Depois de ser acusada de negligência, Kristine alegou que Natalia era uma impostora que fingia ser criança. A mãe ainda disse que a jovem tentou matá-la. Ela alega que a filha ameaçou esfaqueá-la e a seu marido durante o sono, empurrou-a para uma cerca elétrica e derramou alvejante em seu café.

“Ela fazia declarações e fazia desenhos dizendo que queria matar membros da família, enrolá-los em um cobertor e colocá-los no quintal. Ela ficava de pé sobre as pessoas no meio da noite. Você não conseguia dormir. Tivemos que esconder todos os objetos afiados”, disse Natalia ao jornal Daily Mail.

“Eu a vi colocando produtos químicos, como água sanitária, no meu café e perguntei: ‘o que você está fazendo?’ Ela disse: ‘Estou tentando envenenar você’.”, afirma Kristine.

Em uma entrevista à WISH-TV, a mulher afirmou que Natalia foi diagnosticada como psicopata e sociopata, além de que, quando foi adotada, menina escondeu que já menstruava, tinha dentes adultos e pelos pubianos completos.

A mulher também afirma que os médicos examinaram Natalia e concluíram que ela estava sofrendo uma doença psicológica grave, diagnosticada apenas em adultos. Kristine alega também que a doença levou Natalia a pular de carros em movimento e a espalhar sangue por espelhos.

Por fim, Kristina afirma que o casal resolveu “corrigir” a idade da filha após um médico afirmar que o ano de nascimento (2003) estava errado e que a filha apenas fingia ser uma criança pequena.

Natalia sofre de uma forma rara de nanismo, o que significa que ela tem um metro e meio de altura e tem problemas para caminhar. Por causa de sua condição, os médicos não conseguiram determinar sua idade.

A história se assemelha à do filme “A Órfã”, na qual um casal adota uma menina de nove anos, e mais tarde descobre que se tratava de uma adulta que assassinou seus outros pais adotivos e que tenta matar também a nova família.

(Com informações do portal Marie Clarie)

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*