Mulher está desaparecida há mais de 30 dias em São Luís

A jovem Elayne Ingridy Diniz Pereira, de 22 anos, residente no bairro Juçatuba, na zona rural de São José de Ribamar, está completando 30 dias desaparecida. Ela é casada e tem uma filha de 4 anos.
Elayne desapareceu no dia 16 de abril após sair de sua residência com destino à casa da avó paterna, no bairro Vila Cascavel. Em seguida, ela iria à casa de uma tia materna, na Cidade Operária. No entanto, Elayne não chegou em nenhum dos dois locais.
O caso está sendo investigado pela Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), por intermédio do Departamento de Feminicídio.
A delegada Viviane Azambuja diz que os trabalhos de apuração do caso estão em andamento, com várias linhas de investigação, mas que não pode revelar mais detalhes à imprensa.
A família, angustiada, aguarda uma solução. “Vamos aguardar o resultado das investigações. Só nos cabe, neste momento, esperar por respostas da polícia”, diz uma parente de Elayne.
A família espalhou cartazes com a foto da jovem em vários pontos da cidade e no transporte coletivo. A esperança é de que surja alguma informação precisa que possa levar à elucidação desse desaparecimento misterioso. A divulgação tem sido grande, ainda, nas redes sociais.
No fim da manhã de segunda-feira (6), a família esteve reunida, nas imediações da Rua Paulo VI, no Jardim São Cristóvão 1.
Além de falar da angústia e sofrimento com o desaparecimento de Elayne, a família solicitou ajuda ao secretário da Segurança, Jefferson Portela, para que as buscas sejam feitas, principalmente, na área de matagal de Tajaçuaba e até no entorno da Vila Cascavel/São Raimundo para onde a jovem iria inicialmente.
Antes de desaparecer, no dia anterior, a jovem teria travado uma discussão com o marido. A informação foi passada pelo próprio marido, que não deu maiores detalhes do ocorrido. Ele disse apenas que a mulher saiu de casa com R$ 200,00 para pagar uma conta e fazer compras de gêneros alimentícios para casa.
Elayne desapareceu na manhã de terça-feira (16), mas o marido só comunicou à família dela na tarde de quarta-feira (17).
Para a família, tudo é muito estranho, pois Elayne é uma mãe muito dedicada à filha. “Para onde ia, ela fazia questão de levar a filha. Jamais ela sairia de casa sem a menina. É muito sofrimento para todos nós”, diz outra parente da jovem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.