Entenda o perigo: Homem de 28 anos tem AVC após estalar o pescoço

Um morador de Oklahoma, nos Estados Unidos, teve um AVC (acidente vascular cerebral) depois de estalar o pescoço. O homem de 28 anos foi identificado como Josh Hader, que estava sentindo desconforto na região cervical há algumas semanas e pensou que dar umas estaladas de leve poderia ajudar. As informações são do MegaCurioso.

De acordo com entrevista ao jornal Whasington Post, ele acredita que, inadvertidamente, colocou uma pouco a mais de força nas mãos e ouviu um estalido diferente no momento da manobra (uma espécie de “ploc”). 

Reprodução/Internet

Foi então que começou a sentir que seu lado esquerdo estava dormente e ele sequer conseguia andar direito. Menos de uma hora depois, Josh dava entrada na emergência do hospital com um Acidente Vascular Cerebral Grave, segundo a classificação dos médicos, que poderia tê-lo levado a morte caso não fosse socorrido a tempo.

Estalo perigoso

O que aconteceu, afinal? A manobra brusca do estalo provocou ruptura em uma das principais artérias do pescoço de Hader, condição conhecida como dissecção de artéria cervical. Esse tipo de lesão tende a aumentar o risco de acidente vascular cerebral, de acordo com a Clevaland Cinic. O derrame pode ocorrer se, no rompimento da artéria, um coágulo de sangue se fomar no local da ruptura bloqueando o fluxo sanguíneo para o cérebro, afinal, tudo está interligado.

Reprodução

Melhor evitar

Embora sofrer um AVC após estalar o pescoço na tentativa de “relaxar” seja algo raro, pode acontecer. Em março deste ano, uma mulher no Reino Unido passou por uma situação bem parecida com a de Hader e também ficou parcialmente paralisada. 

Segundo o especialista Dr. Robert Glatter, médico que atua na emergência do Lenox Hill Hospital de Nova Iorque, não existe um jeito 100% seguro de estalar o pescoço: “é melhor simplesmente evitar fazê-lo para prevenir potenciais complicações”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.